Cooperativa de Ensino Superior Artístico do Porto PT | EN

MENU seta_cesap
Estratégia e Objetivos
A localização da ESAP no centro histórico do Porto, onde sempre se situou desde a sua fundação na década de oitenta, deixou de fazer sentido nos últimos anos. Com efeito, no contexto sociológico da redescoberta do centro da cidade, com a sua reabilitação e consequente gentrificação, e do turismo massificado, o centro histórico do Porto tem vindo a tornar-se um “parque temático” visitado diariamente por milhares de turistas. Situada no coração deste centro, a ESAP tem vindo a ser afetada negativamente, desde os problemas associados ao ruído criado pelos turistas e músicos de rua, até à inflação dos preços dos bens e serviços na zona.

Como tal, os cooperantes da CESAP deliberaram na sua Assembleia Geral relocalizar as suas instalações numa zona da cidade do Porto, próxima do centro, mas mais tranquila e com grande potencial. Irá ocupar-se um antigo conjunto industrial junto à Avenida Fernão de Magalhães, na Freguesia do Bonfim. A Escola Artística Soares dos Reis está também aqui localizada, o que permitirá reforçar um Cluster de artes e contribuir para o processo de reabilitação física e social da zona Oriental da cidade, que se encontra já em plena transformação urbana e dinamização cultural.

Em paralelo, esta localização está também servida pela nova linha de metrobus da Avenida Fernão Magalhães, que permitirá a conexão com a rede do metro e com o terminal rodoviário no Campo 24 de Agosto. Deste modo, promove-se também uma estratégia de mobilidade sustentável, assente no transporte público e nos modos suaves de transporte.

O antigo conjunto industrial é o herdeiro do iniciado em 1908 por João da Fonseca Carvalho, na então Travessa de Monte Bello (atual Travessa de Fernão de Magalhães), onde mandou construir a sua habitação e um tear manual para fiação de sedas.
Em 1944, o crescimento da empresa, que passou a denominar-se João da Fonseca Carvalho & Filho, Lda, motivou a edificação de novas instalações na Rua dos Navegantes. O projeto da nova fábrica foi definido na sua essência pelo arquiteto Viana de Lima e no qual colaborou também o arquiteto Agostinho Ricca. A este conjunto foi acrescentado em 1945 uma casa com frente para a Avenida Fernão Magalhães e, em 1946 e 1951, duas construções anexas à fábrica, uma das quais da autoria do arquiteto João Queiróz.

É neste antigo conjunto industrial que a CESAP e a sua Escola Superior Artística do Porto - ESAP, se irão agora instalar criando assim condições de excelência e referência para o seu ensino superior artístico.
Aproveita-se assim a oportunidade para reabilitar um antigo edifício industrial e construir uma escola ambientalmente sustentável, dotada de espaços adaptados às necessidades do ensino superior artístico do séc. XXI e englobando uma residência universitária, com projeto da autoria de arquitetos e engenheiros docentes do Mestrado Integrado em Arquitetura da ESAP.

“A ideia central do projeto tem como principal objetivo a realização de um equipamento fortemente caracterizado pela utilização coletiva dos diferentes espaços. Nomeadamente o espaço da nave da antiga fábrica é concebido como um lugar de prática didática das diferentes disciplinas de forma a criar uma relação direta no desenvolvimento dos diferentes momentos da aprendizagem. Aprender fazendo e aprender com os outros para criar interdisciplinaridade no campo artístico, firmando a necessidade de perseguir a ideia de Arte Total como objetivo da integração das diferentes artes. Neste sentido os espaços interiores serão tratados como espaços interligados, flexíveis e polivalentes. Os espaços exteriores serão complementares dos interiores. Serão transparentes e com grande relação entre interior e exterior.

Grande importância é dada à frente com a Rua Major David Magno e ao tratamento plástico do seu alçado. A atual empena resultado da construção de um conjunto residencial será ocasião para dar ao espaço público uma qualidade adequada à presencia de dois equipamentos destinados á formação artística.

O alargamento do passeio ao longo da Rua dos Navegante permitirá ter outra dimensão e outra qualidade na utilização pública.”

As novas instalações do CESAP/ESAP terão diferentes tipos de acessibilidade em relação às características funcionais das diversas áreas.
Estão previstas:

- Entrada principal, com controlo de acesso pela Rua Major David Magno e com entrada independente para a área das residências universitárias;

- Entrada para a área administrativa, secretariado e espaços técnicos pela Rua dos Navegantes;

- Entrada ocasional através da Galeria para exposições, a partir da Avenida Fernão Magalhães.

Com exceção da residência universitária, todas as áreas serão intercomunicantes.

Zona A - Com acesso pela Rua dos Navegantes, o antigo edifício administrativo existente na cabeceira norte da grande nave industrial, será com ligeira remodelação, usado para albergar os espaços administrativos e de Direção da CESAP. No Piso 0 (semicave), em continuidade com a antiga nave industrial (espaço B) serão instalados serviços e laboratórios informáticos.


Zona B
- Consiste na área da nave industrial destinada exclusivamente às atividades letivas. Trata-se de uma área que, devido às características espaciais, permitirá uma ocupação diversificada em momentos diferentes. Partindo de um único grande compartimento, a antiga nave industrial, será ocupada lateralmente por dois pisos de módulos independentes da estrutura existente, em sistemas leves pré-fabricados, deixando uma zona central de pé-direito duplo. Os diversos laboratórios, ateliers e salas de aula ficarão aqui localizados, assim como o auditório principal.

Zona C - Composta pela zona a reconstruir e ampliar na frente da Avenida Fernão Magalhães. Embora de modestas dimensões, o edifício com grande visibilidade, terá como funções, a Galeria de Exposições com a possibilidade de acesso direto a partir do exterior e a Biblioteca com acesso a partir do andar superior da grande nave.

Zona D - Esta área faz parte do novo edifício a construir integralmente de raiz. Do nível do espaço público arborizado, será possível aceder à área da entrada principal e de forma independente, à residência de estudantes e ao bar/cantina e auditório. Existem neste novo corpo, 7 níveis, funcionando o inferior como uma zona de articulação com o nível da grande nave da antiga fábrica e com o novo pátio permeável e ajardinado. Este nível contém oficinas de modelagem e “maquetes”, estúdio de cinema, laboratório de som, serviços administrativos da ESAP, bem como espaços nobres de acesso e circulação. Os dois níveis acima da entrada, têm todos os espaços relacionados com a administração e gestão académica, assim como os centros de investigação e gabinetes para docentes. Os dois níveis seguintes são dedicados à residência universitária, com 46 quartos, organizados quer em blocos coletivos de quatro quartos, ou em unidades de uso individual ou para utilizadores com mobilidade condicionada. O último nível será apenas parcialmente ocupado, com uma sala de uso diversificado, deixando a cobertura prevista como ajardinada, para qualificação ambiental;

Zona E - Um espaço exterior de separação entre a Zona B e o novo corpo, com as características de um pátio interno, está previsto para permitir níveis adequados de iluminação e ventilação natural das várias áreas construídas. Um espaço com possível e desejável introdução criteriosa de elementos vegetais e superfícies permeáveis. Além do pátio principal, com o objetivo de valorizar as áreas menos iluminadas, estão previstos alguns outros pequenos pátios verdes, que no total, ultrapassam os 15% da área total do lote. Esta solução arquitetónica permite uma distribuição programática dinâmica e uma flexibilidade espacial, consubstanciando no novo território académico, os valores e as características intemporais da CESAP/ESAP.

Zona F – Na área resultante das demolições entre Rua dos Navegantes e Rua Major David Magno está prevista a realização de um pequeno parque estacionamento com 10 lugares (em grelha de enrelvamento) e que permite também uma zona de cargas e descargas.”

Zona G – Nesta zona disponibilizou-se um espaço para estacionamento de bicicletas e outras formas de mobilidade suave, de modo a promover a estratégia de sustentabilidade ambiental evitando o recurso ao automóvel.”

– 8.413 m2 de Área bruta, que compreende:


- A reabilitação e alteração de edifícios com 3.119 m2 de área bruta (Serviços administrativos e de gestão da CESAP, Salas de Aulas, Ateliers, Oficinas, Laboratórios, Auditório, Galeria de Exposições e Biblioteca);


- A construção de um novo edifício com 5.294m2 de área bruta (Bar/Cantina, Estúdio, Laboratório, Auditório, Serviços Académicos e Administrativos da ESAP, Centros de Estudos e Investigação, Gabinetes de Docentes e Residência de Universitária);



- Arranjos exteriores de uma área aproximada de 635 m2.


Oficinas ou ateliers
: 4 oficinas e 14 Ateliers de vários tipos (alguns funcionarão também como salas de aula tradicional);


Estúdios e Laboratórios
: Estúdio de cinema, Laboratório de Som, Sala de Movimento com camarins, 2 Laboratórios Multimédia, 2 Laboratórios de Fotografia e um Estúdio de Fotografia;


Salas de aulas
: 6 salas de aula Teórico/Práticas;

Auditórios: 2 auditórios, sendo um Grande e outro Pequeno;

Galeria de Exposições: 1 Galeria de Exposições, com possibilidade de acesso independente;



Espaços de Apoio ao Ensino
: Biblioteca, Centro de Informática, Centro de Impressão/Reprografia, Centro de Modelagem e Maquetagem e 2 Áreas de Estudo;


Espaços de Gestão e Administração
: 10 gabinetes, 4 espaços de secretariado, 1 tesouraria/contabilidade, 10 salas de apoio/reuniões e 5 espaços de arquivo;


Instalações para Docentes e Investigação
: 2 Centros de Investigação; 12 gabinetes de Docentes; 1 Gabinete de Extensão Universitária; 1 sala multifunções;


Espaços de Apoio Social
: Cantina/Refeitório, Espaço de Convívio/Bar, Associação de Estudantes, Posto Médico, Gabinete de Ação Social, Sala de Funcionários;


Residência Universitária
– 46 quartos, dos quais 6 individuais (quarto, wc e sala/kitchenette) e 40 quartos com serviços partilhados (10 módulos, cada um com 4 quartos individuais, 2 wc partilhados e uma sala/kitchenette). Com acesso independente.

barra_feder.jpg
barra_feder2.jpg
barra_feder3.jpg
barra_poise.jpg
barra_ue_fse.jpg
compete.png